Barcelona: O que visitar?

Park Guell in Barcelona, Spain

 

Barcelona encontra paixões. Se procura saber o que visitar em Barcelona e um guia e um roteiro para visitar Barcelona, encontrou-os. Este guia completo leva-o a conhecer alguns dos pontos mais importantes em poucos dias. Cada dia vem acompanhado por um mapa de Barcelona com o respetivo percurso e vários locais a visitar assinalados. Barcelona é uma das cidades mais bonitas, descontraídas e emocionantes onde já estivecasa_mila_barcelona

Casa Milà

Volte a levantar-se cedo para chegar à Casa Milà antes das grandes filas se formarem à porta. A Casa Milà é mais um dos ícones de Barcelona projetado por Gaudí. Mais conhecida como La Pedrera (A Pedreira), mais parece um rochedo construído numa esquina do Passeig de Gràcia. A obra ficou completa em 1912, antes de Gaudí se dedicar por inteiro à Sagrada Família.

A Casa Milà é um bloco de apartamentos cheio de curvas suaves que demonstram que, no Modernismo, a estética dominava a praticabilidade. O edifício é tão original que foi o primeiro do século XX a ser declarado Património Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1984. Lá dentro, pode visitar alguns apartamentos com decorações e mobiliário de época bastante interessantes. Gostei particularmente das cozinhas. No bonito sotão de arcos parabólicos também existem desenhos e maquetes da construção, bem como objetos que inspiraram Gaudí.

Mas o lugar mais fascinante da Casa Milà é o terraço ondulante repleto de chaminés com fragmentos de mosaicos incrustrados. A loucura de Gaudí deixou coisas fabulosas. E a vista que se tem do terraço sobre Barcelona é igualmente fascinante, podendo mesmo ajudá-lo a orientar-se para a próxima etapa deste Roteiro Barcelona – o que visitar.

Ao sair da Casa Milà, vire à esquerda e suba uns 10 metros o Passeig de Grácia até encontrar a enorme loja Vinçon, que vende produtos para a casa de design contemporâneo. Esta visita até pode sair um pouco do roteiro turístico tradicional de Barcelona mas, para mim, o design tem tudo a ver com a capital da Catalunha. Dê um passeio lá dentro e não perca a exposição de design gráfico e industrial.
Continue a subir o Passeig de Gràcia até atravessar a Avigunda Diagonal e chegar à Plaça de Joan Carles I. Subindo os Jardins de Salvador Espriu, descanse um pouco num banco enquanto come um gelado (se for Verão). Hoje vai andar bastante a pé.

Bairro da Gràcia

Seguindo o percurso desenhado no mapa do dia 3 deste Guia Barcelona – o que visitar, entre no emblemático Bairro da Gràcia, repleto de pequenas praças e ruas estreitas. É aqui que, há já muito tempo, os boémios artistas, escritores e estudantes de Barcelona gostam de estar.

Tudo na Gràcia é pacato e castiço, desde as bandeiras nacionalistas da Catalunha penduradas nas janelas das praças até aos restaurantes de tapas e as pequenas lojas e mercearias de bairro. Visite o mercado modernista Mercat de la Llibertat, construído em 1893 após um projeto do assistente de Gaudí, Francesc Berenguer. Lá dentro, tudo é arrumadinho e os produtos têm um óptimo aspecto

Também vai encontrar alguns edifícios interessantes com destaque para a Casa Vicens (Carrer de les Carolines 24), uma das primeiras obras de Gaudí em Barcelona, coberta de azulejos (o dono era fabricante) e rodeada por fortíssimas grades de ferro.

Parque Guell

Se seguir o caminho do mapa de Barcelona dia 3, vai entrar por uma entrada secundária no topo de um monte difícil de subir mas que, em parte, até tem escadas rolantes. Depois do esforço há umas caravanas que vendem comes e bebes para o reconfortar. Depois de passar os muros, vire à esquerda seguindo o mapa que lhe dão para percorrer os caminhos labirínticos e apreciar a vista fantástica de Barcelona.

O Parque Guell é mais uma obra de Gaudí a visitar em Barcelona obrigatoriamente. Em 1900, o objectivo do proprietário, Eusebi Guell, era a construção de uma nova zona residencial fora do centro urbano mas os habitantes ricos de Barcelona não se mostraram muito interessados. Das 60 casas originalmente pensadas, apenas 2 foram construídas. O parque foi, então, um desastre económico mas é um testemunho incrível da imaginação de Gaudí.

O Parque Guell tem 15 hectares de vegetação. O percurso deste Guia Barcelona – o que visitar leva-o à zona mais importante, a da entrada principal, na parte superior. O espaço aberto forma uma espécie de praça com uma vista deslumbrante sobre Barcelona, que pode disfrutar sentado num dos muitos bancos ondulantes cobertos de pedaços de azulejos. Por baixo desta área está a Sala Hipóstila, originalmente projectada para ser o mercado da cidade-jardim. Esta é a peça central do Parque Guell. A “sala” tem 86 colunas dóricas decoradas com 4 discos em forma de Sol feitos com bocados de azulejos caleidoscópicos que representam as 4 estações. Há ainda outras representações como a Lua nas suas diferentes fases, figuras da mitologia grega, insígnias cristãs, sânscritos, símbolos egípcios e personagens do Antigo Testamento. Toda esta zona de sombra das colunas é muito bonita.

Na saída principal do Parque Guell, junto ao espetacular portão de ferro trabalhado, há duas pequenas casas que parecem saídas dum conto de fadas. Todo o parque é muito bonito… é pena haver tantos turistas. Evite visitá-lo num feriado ou domingo à tarde.

Parque Guell Barcelona – Informações

– Horário – 10-19h (varia um pouco em certas alturas do ano)

– Preço – gratuito

Ao sair do Parque Guell vai encontrar logo uma loja de recordações muito boa. Mais abaixo à direita há outras, onde os artigos são mais baratos mas menos interessantes. Para voltar ao centro de Barcelona, retome o percurso que seguiu desde o Bairro da Gràcia, até à estação de metro Lesseps. Tem a noite por sua conta antes de voltar ao hotel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>