Roma: Roteiro 2 dias

Coliseu, símbolo de RomaRoma é uma das cidades mais visitadas da Europa e do Mundo. E há tanto o que ver e visitar que acho que nem em uma vida é possível conhecer tudo. Por isso, é importante planejar bem a viagem para lá. E foi exatamente o que não fizemos! hehe Chegamos lá em pleno feriadão nacional e a cidade mais parecia um carnaval fora de época. Tivemos que ficar em um camping distante, por falta de hospedagem, e depois num cafofo.

Neste post organizei um roteiro em Roma e Vaticano para 3 dias, visitando o que há de mais imperdível na cidade.

 

Dia 1

No primeiro dia de cada cidade, sempre gosto de fazer um reconhecimento, fazer uma caminhada e visitar atrações turísticas gratuitas, nada de pegar filas. Então, no primeiro dia em Roma é ideal visitar praças, observar fontes e monumentos.

Começaria, então, pela Fontana di Trevi, a mais famosa de toda a Itália, uma fonte em estilo barroco com 26 metros de altura e 20 metros de largura. A Fonte já serviu de cenários para inúmeros filmes e é um dos lugares mais visitados de Roma. É preciso ter um pouco de paciência, pois a fonte estará sempre superlotada. Vai ter de tudo, gente fazendo pedido de casamento, gente tomando uns “bons drink”, gente tentando fazer selfie. Mas é lindíssima, com sua magnífica estátua do deus Netuno, representado sobre um carro em forma de concha puxado por dois cavalos-marinhos. Também fica linda à noite, iluminada.

Fontana di Trevi

Depois da Fontana, dá para ir caminhando até o Panteão de Agripa. Este é o único edifício construído na época greco-romana que, atualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. A Basílica é aberta nos dias úteis, das 9h às 19h30; domingo 09h às 18h. Só é fechado em 1 de Janeiro, 1 de Maio e 25 de dezembro. A entrada é gratuita.

Panteão

Pertinho do Panteão fica a Piazza Navona. Essa praça é cheia de lindos monumentos e fontes e muito frequentada por turistas e locais. O local onde hoje está a praça era usado, em tempos antigos, para competições esportivas e de vários tipos, e agora, reúne artistas de rua, pintores e retratistas. Ao redor da praça há muitos cafés com mesinhas ao ar livre.

Piazza Navona

Da Piazza Navona dá para seguir para a Piazza di Spagna. É uma das praças mais bonitas de Roma e, claro, lotadíssima de romanos e turistas. O destaque da praça fica por conta da escadaria monumental em três seções, seguida na seção central por outras escadas que sobem nas laterais e levam à igreja de Trinità dei Monti. A fonte no centro da praça, na forma de um barco é chamada pelos romanos de La Barcaccia, ou velha banheira.

Piazza di Spagna e as escadarias lotadas de turistas e romanos

Para encerrar o primeiro dia das praças e fontes, recomendo a Piazza del Popolo. A Praça do Povo é a praça das igrejas gêmeas, como são chamadas Santa Maria in Montesanto (1675) e Santa Maria dei Miracoli ou dos Milagres (1678), por serem simétricas. Também fica nesta praça a igreja de Santa Maria del Popolo e o obelisco Flaminio de 24 metros, construído no tempo dos faraós Ramsés II e Mineptah (1232-1220 a.C.), levado para Roma por Augusto e anteriormente colocado no Circo Máximo.

Piazza del Popolo e as igrejas gêmeas

É na Piazza del Popolo que acontecem eventos públicos importantes e grandes manifestações na cidade.

Nesta praça fica a estação de metrô Flamínio e você poderá voltar facilmente para o seu hotel depois de um dia de caminhada, apesar de que essa foi a estação mais lotada que pegamos, mas era feriadão em Roma.

Dia 2

O segundo dia é o melhor para visitar as atrações mais visitadas e pagas, pois saindo cedinho dá para aproveitar melhor. As filas em Roma podem ser intermináveis, mas por sorte, há opções de ingressos combinados.

O Coliseu é o número 1 do “must see” de Roma. O Anfiteatro Flaviano é o símbolo maior de Roma foi construído no primeiro século depois de Cristo, por volta dos anos 68-79, a mando dos imperadores da dinastia Flávia. Foi chamado de Coliseu em homenagem a uma estátua colossal de Nero que ficava nas proximidades. Até o final da Antiguidade eram realizados no Coliseu as lutas de gladiadores. O edifício deixou de ser usado para entretenimento no começo da Idade Média, mas foi mais tarde usado como habitação, oficina, forte, pedreira, sede de ordens religiosas e templo cristão.

Fila da bilheteria do Coliseu

O Coliseu é, ainda hoje, o maior anfiteatro do mundo. Em 2007, o anfiteatro foi eleito umas das “Sete maravilhas do mundo moderno”.

Por dentro do Coliseu

Horário: Do último domingo de Outubro a 15 de Fevereiro: das 8h30 às 16h30, última admissão às 15h30. De 16 fevereiro a 15 março, das 08h30 às 17h, última entrada às 16h. De 16 de março ao último sábado de março: das 08h30 às 17h30, última entrada às 16h30. Do último domingo de Março a 31 de Agosto: das 8h30 às 19h15, última admissão às 18h15. De 1 setembro a 30 setembro, das 08h30 às 19h, última entrada às 18h. De 1 de Outubro ao último domingo de outubro: das 8h30 às 18h30, última entrada às 17h30. Fechado em 1 de Janeiro, 1 de Maio e 25 de Dezembro.

Ao lado do Coliseu fica o Arco de Constantino, um arco triunfal em Roma, que fica entre o Coliseu e do Monte Palatino. Foi erguido pelo Senado Romano para comemorar a vitória de Constantino I sobre Magêncio na Batalha da Ponte Mílvia , em 28 de outubro de 312. Construído em 315, é o mais recente dos arcos triunfais existentes em Roma. A visita é gratuita.

Em frente ao Arco de Constantino está o Fórum Romano e a Colina Palatino. O Fórum Romano é uma praça retangular, cercada pelas ruínas de várias construções públicas de grande importância cultural. Era o principal centro comercial da Roma Imperial, era popularmente conhecido como Forum Magnum ou, simplesmente, Forum. Foi o coração da Roma antiga, considerado o ponto de encontro mais conhecido do mundo, em toda a história.

Fórum Romano

Já o Palatino é uma das sete colinas de Roma.Tem 70 metros de altura e nas suas encostas foram construídos, de um lado, o Fórum Romano, e do outro, o Circo Máximo. O local é hoje um grande museu ao ar livre. É nesta colina que se encontram as ruínas dos palácios de Augusto, Tibério e Domiciano.

Horário: Todos os dias das 8h30 às 19h. Fechado em 1 de janeiro e 25 de dezembro. A bilheteria fecha uma hora antes.

Quando eu disse que Roma estava lotada, eu quis dizer assim. Rua em frente ao Coliseu

Depois da visita aos monumentos do centro histórico de Roma Antiga, mais à frente você poderá ver o Monumento a Vittorio Emanuele II. Também chamado de Altare della Patria (Altar da Pátria) ou ainda Il Vittoriano é dedicado a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana. Está situado entre a Piazza Venezia e o Monte Capitolino e foi projetado por Giuseppe Sacconi em 1885, inaugurado em 1911 e concluído em 1935.

 Monumento a Vittorio Emanuele II

O monumento é uma construção suntuosa, uma estrutura de 135 m de largura e 70 m de altura, mas se as quadrigas e as vitórias aladas forem incluídas, a altura passa a ser de 81 m. A base do monumento abriga o museu da Unificação Italiana. Em 2007, um elevador panorâmico foi instalado, permitindo aos visitantes ir ao teto e ter uma visão 360° de Roma. A entrada ao museu é gratuita. Mas o elevador para ter a vista panorâmica custa 7 euros.

O segundo dia em Roma pode ficar completo com uma visita à Basílica de São João de Latrão (San Giovanni in Laterano) está localizada na Praça Giovanni Paolo II em Roma. É a Catedral do Bispo de Roma. E é considerada a “mãe” de todas as igrejas do mundo. Por falta de planejamento, nós não visitamos essa igreja. Não façam o mesmo.

É uma das quatro basílicas patriarcais de Roma. As outras três, também caracterizadas com uma Porta Santa e um Altar Papal, são: a Basílica Vaticana, que manifesta a igreja apostólica fundada sobre o apóstolo Pedro; a Basílica Ostiense, que manifesta a igreja católica fundada sobre a missão de Paulo; e a Basílica Liberiana, ou Mariana que manifesta a igreja santa gerada com Cristo de Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>